SPU autoriza cessão dos galpões do extinto Instituto Brasileiro do Café ao Instituto Federal do Espírito Santo

Medida ampliará oferta educacional à população e fomento ao desenvolvimento tecnológico do estado

A Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União do Ministério da Economia (SPU/ME) autorizou, na última quinta-feira (19/8), cessão de parte de uma área da União ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (Ifes). No local estão situados os galpões do extinto Instituto Brasileiro do Café (IBC), no município de Vitória. A medida – que consta da Portaria nº 10.069/21 – ampliará a oferta educacional à população, além de gerar à instituição uma economia anual de R$ 3 milhões com aluguéis.

De acordo com a secretária da SPU, Fabiana Rodopoulos, o objetivo é destinar o patrimônio brasileiro para o benefício dos cidadãos. “Muitos ativos federais estão sem uso atual. Nada mais justo que destiná-los para atender questões prioritárias do governo de interesse da Administração Pública”, explicou.

No local, o Ifes pretende potencializar as ações de empreendedorismo e criar uma estrutura laboratorial dedicada às atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação, voltadas para o aumento da produtividade e da economia capixaba. O projeto prevê a ocupação de uma área 24 mil metros quadrados, em que serão alocadas a Reitoria do Ifes, o Centro de Referência em Formação e em Educação a Distância (Cefor) e um Centro Tecnológico, que abrigará o Polo de Inovação, a Agência de Inovação do Ifes (Agifes) e a incubadora do instituto educacional.

Após a assinatura do contrato o Ifes terá sete anos para concluir as obras e utilizar integralmente o imóvel, de acordo com a finalidade da destinação.

Entrega

A cerimônia de entrega dos galpões para a instituição de ensino ocorreu na última sexta-feira (20/8) e foi realizada no próprio imóvel. Participaram do evento representantes da SPU, do Ifes, do governo do Espírito Santo, da prefeitura de Vitória, da Associação de Moradores de Jardim da Penha (Amjap), parlamentares, além de representantes de diversos segmentos da sociedade civil organizada e dos poderes Legislativo e Judiciário municipal de Vitória.

Com informações do Ministério da Economia

Fechar Menu